O QUE É CODEPENDÊNCIA E NARCISISMO E COMO FORAM CRIADOS

2/07/2020




 Desde os primórdios da humanidade, quando o ser humano ainda era um “homem das cavernas”, seu lado mais animalesco era o mais forte, e como no reino animal, os seres humanos mais fortes eram os que sobreviviam e defendiam os mais fracos.
Bem, isso ficou gravado no DNA humano como uma verdade incontestável, de que os mais fortes – principalmente fisicamente – são os que mandam, dirigem e protegem dentro da vida social.
Por sermos os animais mais sociais da terra, temos um imenso pavor de ficarmos sós e desprotegidos, como nossos irmãos das cavernas, que eram expulsos se faziam alguma coisa considerada errada pelo bando, ficando desprotegidos e sem defesa, eram muitas vezes mortos ou morriam de fome.
Isso está gravado no inconsciente humano.
E, dessa forma, a sociedade humana, foi progredindo cada vez mais usando a mente e a inteligência ao invés da força física, porém, a crença dos mais fortes ainda perdura na mente humana, que considera as pessoas mais sensíveis não tão fortes fisicamente, “fracas”. Daí, nossa sociedade onde os mais truculentos se impõe sobre os assim considerados “mais fracos”.
Isso, é tão arraigado em nós que nem percebemos direito esse mecanismo.  Nos tornamos uma sociedade bélica, competitiva e agressiva, como um bando de animais que necessitam agir assim para sobreviverem nas selvas, na lei do mais forte.Como não estamos na selva (literal) mas na selva das cidades, agimos assim inconscientemente.



E, dessa forma a sociedade sempre foi dividida: os mais fortes mandando e os mais fracos (sensíveis) obedecendo e seguindo regras e ordens impostas pelos líderes.
Isso tudo na realidade quem faz é nosso ego, que é nossa mente subconsciente cheia de conceitos, regras e crenças herdadas de vidas e vidas passadas Evoluimos, mas não limpamos a casa para transformar crenças que não são mais úteis para nós, mas costumam nos prejudicar muito ainda.
O ego vive no mundo da matéria e só acredita nela, por isso crê que pessoas mais sensíveis, amáveis, colaboradoras e espirituais são “fracas”, isso do ponto de vista do mundo material, que só acredita no que vê e que a matéria é que manda.
Quando vamos nos auto conhecendo, vamos percebendo que isso não é verdade, e como diz Bill Gates: “Não julgue os introvertidos, porque um dia eles serão os seus chefes!”
Assim como o mundo material julga os mais sensíveis como fracos, também julga os mais quietos e introvertidos, pois acha que quem grita mais e dá mais ordens é que é o chefe. Vou deixar um link de uma palestra de Susan Cain, falando sobre seu livro:


O Poder dos Quietos que se aprofunda mais nisso.
As empresas hoje em dia fazem escritórios, com mesas umas junto as outras, valorizando o trabalho em grupo, o famoso “Brainstorm”, se esquecendo que as grandes invenções humanas foram descobertas por pessoas solitárias em seus quartos, na natureza ou nos laboratórios, onde podiam ficar à sós, e ouvir a própria intuição – ou sua alma, centelha divina, ou como você queira chamar -falando com ela, pois as respostas, sempre estão e sempre estarão dentro e não fora de nós.
E nisso chegamos ao tema Codependência, a pessoa julgada como “fraca” pela nossa sociedade bélica, litigiosa, egóica e materialista.
Nessa sociedade, o  codependente foi criado por pessoas que o julgaram, criticaram  e castigaram, por isso, se sente sempre motivo de julgamento alheio e se achando sempre errado com medo de falhar, de errar e ser punido por isso, aprendeu desde cedo a lidar com frustrações e as sublimarem, por achar que merecia recebê-las, criando dentro de si um juiz interno arrogante e punidor que não perdoa qualquer deslize.
Assim como os narcisistas que essa pessoa encontrará na vida, pois eles são espelhos do que essa pessoa faz consigo mesma, se julgando, criticando e castigando constantemente, sempre atraindo relacionamentos em quaisquer níveis: abusivos, críticos, intolerantes e julgadores como seus algozes do espelho. E diferentemente do narcisista foi ensinado a sempre se colocar no lugar do outro, se esquecendo de si.
O narcisista foi criado ouvindo sempre que estava certo, que era maravilhoso, poderoso, sempre superprotegido de frustrações, se tornando assim crítico e julgador dos outros, pois acredita que é superior à eles, pois tudo que fazia era aplaudido mesmo que não fossem coisas boas, perdendo assim seu senso auto crítico e desviando de si, julgando aos outros, achando sempre estar certo em tudo o que faz, e nunca se colocando no lugar do outro.
“O narcisista não para de pensar em si mesmo, e o Codependente não para de pensar no Narcisista.”
“O narcisista estuda a vítima (codependente) e o codependente estuda o narcisista, e nenhum dos dois estuda e observa a si mesmo, que é aonde está todo o problema e tambem toda a solução”
O que os codependentes precisam entender é que não são fracos, somente mais sensíveis.E que gritos, agressividade e críticas não fazem de ninguém mais forte, na realidade, isso é uma forma de acentuada fraqueza, pois os verdadeiros fortes, não gritam, pois estão em paz e não precisam se defender do mundo e das pessoas ameaçando e gritando, pois não as temem.
O codependente precisa também entender que não precisa estar sob a proteção de ninguém, pois tem uma alma dentro de si que sempre o/a protege, e que muitas vezes é na solidão que encontrarão as respostas e a força para seguirem em frente.
Na nossa sociedade ocidental, ficar só, parece um castigo horrível, pois é nessa hora que nossa mente julgadora ataca e faz críticas monstruosas, por isso as pessoas estão sempre coladas umas as outras, seja no trabalho, escola, na vida social, procurando não ficarem sós nunca. Nestes textos e vídeos, vamos esmiuçar tudo isso melhor e com mais detalhes, mostrando respostas para sairmos dessa prisão chamada medo e codependência.
Lembrando que com nossas pesquisas peercebemos que  se fala e se estuda mais o narcisista do que o codependente, por isso nosso trabalho será mais focado na codependência porque sobre narcisistas já existem inúmeros trabalhos.
Uma das formas mais profundas de sair disso é a meditação. Sim, aquela hora de ficamos sozinhos com os nossos pensamentos e com o tempo aprendemos a ficar acima deles observando-os, achando todas as respostas no silêncio, ou seja, naquilo que sempre fomos treinados a temer.
E sim, somos seres treináveis, e nem os codependentes e nem os narcisistas na realidade são assim no profundo de suas almas, todos nós só fomos treinados a sermos assim por uma sociedade doente como a nossa, que está na atualidade sob o domínio do ego. Precisamos nos elevar ao nível do espírito para sairmos disso.
É necessário voltarmos para nossas raízes e desaprendermos o que nos ensinaram de errado e começarmos tudo de novo. Dá trabalho, mas é a única forma de mudarmos radicalmente nossas vidas, enfrentarmos nossos medos, ultrapassá-los e ficarmos livres para termos abundância, amor e tudo o que merecemos na vida.
E, para finalizar, lembre-se:
você merece tudo de bom que a vida tem para oferecer, é só se dar o direito disso, que o Universo trará tudo isso à você, apenas permita que tudo virá com facilidade, esperamos que esse trabalho lhe ajude.
No próximo texto e vídeo discorreremos mais profundamente sobre como não confundir amor com submissão, te vemos lá! Nancy Ogyhs

Talvez lhe interesse

0 Comentários

Posts populares

Curta-nos no Facebook

https://www.facebook.com/Canal-Dthe-Vyda-Crystal-1666627483384993/

INSTAGRAM